Juventude de Belém

Espaço dedicado ao GRANDE CLUBE DE FUTEBOL "OS BELENENSES"

quinta-feira, maio 11, 2006

QUEM SUCEDE A COUCEIRO?!?!?!?



José Mota e mais três para suceder a Couceiro

O perfil do futuro treinador dos azuis está traçado: português, com experiência ao nível da Liga de Honra e em subidas à divisão principal, a ser contratado numa perspectiva de continuidade. Para já, a equipa será dirigida interinamente por dois antigos atletas do clube, Filgueira e Tuck.

O Belenenses já está no mercado à procura de um novo treinador. Os contactos estão a ser desenvolvidos para um alvo em concreto, que tem o perfil desejado pelos responsáveis azuis: português, identificado com a realidade da Liga de Honra e capaz de liderar um projecto tendente a recolocar o clube na divisão principal. "Alguém com provas dadas e grande experiência", precisou o presidente dos azuis, Cabral Ferreira. Neste momento, existe uma lista de quatro nomes referenciados, segundo uma ordem de prioridades, e deverá haver novidades em breve, num processo que se quer tão célere como aconteceu na substituição de Carlos Carvalhal por José Couceiro. Nessa relação, sabe O JOGO, consta o nome de José Mota, técnico que conduziu o Paços de Ferreira à permanência na Liga.

Para já, no regresso ao trabalho – agendado para amanhã –, o treino será orientado pela dupla Filgueira/Tuck, antigos jogadores do emblema da cruz de Cristo que terminaram recentemente as carreiras e são da "casa", o primeiro enquanto treinador dos juniores e o segundo como responsável pelo sector da prospecção. Será uma solução provisória até à chegada da nova equipa técnica. Com Couceiro, abandonam o Restelo os adjuntos Pedro Martins e José Lima, mantendo-se Joaquim Murça, treinador de guarda-redes. Ao que tudo indica, serão estas, pelo menos por enquanto, as únicas cabeças a rolar...

Presidente fica pesem as pressões

Cabral Ferreira tem estado debaixo de intensa pressão nos últimos dias. Embora não queira falar do assunto, a verdade é que o líder belenense tem sido confrontado com a possibilidade de renunciar ao cargo – há várias vozes no Conselho Geral (CG) do clube a defender esse cenário –, mas não irá fazê-lo, por encarar a saída, neste momento tão delicado, como um acto de cobardia. Os rumores da disposição de um grupo de sócios em requerer uma assembleia geral para a destituição dos actuais órgãos sociais parecem não assustar o presidente, que garante ter condições para continuar a dirigir os destinos do clube. "Recebi inúmeras mensagens nestes dias. Cerca de 99 por cento eram de solidariedade e apoio. Houve até pessoas que manifestaram vontade em voltar a filiar-se. É nas alturas más que se vêem os verdadeiros belenenses", referiu. Seja como for, caso tenha de enfrentar a tal reunião magna, Cabral Ferreira promete não fugir às responsabilidades e enfrentar os críticos. Aliás, foi o próprio que solicitou ontem, ao presidente do CG, uma reunião para prestar esclarecimentos àquele órgão acerca da situação do clube.

Meyong e Pelé no mercado

A queda para a Liga de Honra irá, muito provavelmente, obrigar a uma reestruturação do plantel, mas a venda de algum(s) activo(s) era já uma inevitabilidade, mesmo no caso de os azuis ficarem no escalão principal. Nesse sentido, há dois jogadores teoricamente com mais mercado: Pelé e, claro, Meyong, melhor marcador da última Liga. Cabral Ferreira disse desconhecer qualquer interesse no central, mas, quanto ao camaronês, foi taxativo: "É uma hipótese que se pode concretizar a breve prazo. Há muitos interesses em relação ao Meyong. São clubes estrangeiros e há uma proposta aliciante, superior aos valores falados em Janeiro." Ambos os jogadores estão vinculados ao Belenenses até 2007 e possuem cláusulas de rescisão no valor de 2,5 milhões de euros. No caso de Pelé, o Southampton poderá voltar brevemente à carga, mas tentará negociar por valores mais baixos.

Ahamada queria partir para França

O francês Ahamada passou ontem, ao fim da manhã, pelo Restelo, onde se reuniu com o presidente Cabral Ferreira e o director-geral do clube, Rui Casaca. O jogador garantiu a O JOGO ter pedido o encontro unicamente para dar conta da sua vontade de regressar de imediato a França, por forma a tratar da lesão de que padece, mas a sua pretensão foi recusada. O futuro do jogador – tem contrato até 2007 – não esteve, segundo também assegurou, em discussão, embora tal possa vir a acontecer mais tarde, pois, para já, a prioridade dos azuis é contratar uma nova equipa técnica.

Presidente emocionado com O JOGO

A decisão de O JOGO em continuar a conceder ao Belenenses o mesmo tratamento informativo que lhe foi dado quando competia na Liga deixou o presidente dos azuis emocionado. Cabral Ferreira fez questão de salientar e agradecer o gesto, num tom visivelmente sentido. Além de uma prova de solidariedade, o dirigente encarou a boa nova como uma pequena alegria num momento de tanta desilusão.

Participação à Liga por causa de Mateus

A Comissão Disciplinar da Liga resolveu instaurar um processo ao Gil Vicente, desencadeado por uma participação do Belenenses, por possível violação do disposto no artigo 63.º do Regulamento Disciplinar da Liga. Em causa está o "caso Mateus" e o facto de os minhotos terem recorrido aos tribunais para poderem utilizar o atleta, algo que, "salvo nos casos directa, expressa e legalmente previstos", é punido com a descida de divisão. Os azuis têm grande fé nos seus argumentos e prometem lutar até ao fim por esta última réstia de esperança. "Aguardamos o cumprimento dos regulamentos nessa matéria. Estamos apenas a defender a verdade desportiva. Quando há três penáltis a favor do Belenenses e eles não são marcados, estamos a falsear o resultado, da mesma forma como se pode falsear um resultado com uma inscrição irregular ou não se cumprindo os regulamentos. Se não posso obrigar o árbitro a marcar os penáltis, pelo menos vamos empregar os instrumentos legais ao nosso alcance", assegurou Cabral Ferreira.


Liga instaurou processo

O Belenenses fez chegar anteontem à Liga a sua exposição em relação ao caso Mateus e o organismo que tutela o futebol profissional em Portugal instaurou um processo disciplinar ao Gil Vicente. Os azuis aguardam pelo desfecho e procuram o sucessor (português) de José Couceiro. Aliás, o dia de hoje pode trazer novidades nesse capítulo.

O presidente do Belenenses, Cabral Ferreira, pronunciou-se ontem sobre a alegada utilização indevida do jogador do Gil Vicente, Mateus, que, a confirmar-se, poderia custar a despromoção dos gilistas e o retorno à Liga dos azuis. "Os regulamentos são para cumprir e vamos até às últimas consequências. Esperemos que resulte", disse. A Liga Portuguesa instaurou ontem um processo disciplinar ao Gil Vicente, por participação dos azuis, mas nem por isso o Belenenses deixa de preparar "enorme reestruturação". Tuck, antigo jogador e figura emblemática do clube, deverá ocupar lugar na gestão do futebol. "Haverá redução de custos ", assegurou o presidente, que já procura treinador, "português", ainda que falte consumar a rescisão contratual com José Couceiro, que tem mais um ano de vínculo. "Conversando encontraremos certamente uma solução ", explicou o presidente do Belenenses. Os azuis terão de encontrar "formas alternativas de receita", a confirmar-se a descida. É intenção de Cabral Ferreira reformular todo o sector profissional do clube, gerindo melhor os recursos humanos existentes, evitando assim um corte significativo no pessoal e efectivando o cumprimento das obrigações salariais.

Meyong pode render dois milhões

O passe do avançado camaronês, Meyong, que na próxima semana se juntará à selecção dos Camarões, para particular na Holanda, está a ser negociado e pode render dois milhões de euros. A informação foi veiculada por Cabral Ferreira, que admitiu "negociações adiantadas" com clubes estrangeiros. "Pode render cerca de dois milhões de euros. Um pouco mais do que se tivesse saído em Janeiro", acrescentou, antes de falar de Pelé: "Há vários interessados, uns mais do que outros, mas não há propostas concretas."

Gregory e Rui Riça perto do Restelo

Gregory (Gil Vicente) pode reforçar o Belenenses. Ironia das ironias, o defesa-central foi dos esteios da equipa que atirou o Belenenses para a Liga de Honra, mas o seu valor é inquestionável, tanto do ponto de vista defensivo, como ofensivo, dado que faz golos. Quanto a Rui Riça, é guarda-redes, tem 27 anos e joga no Desp. Chaves. A entrada não prejudicaria Marco Aurélio, que faz parte dos planos para a próxima época. De regresso ao grupo estarão Eliseu, Jorge Tavares e Gonçalo Brandão. O defesa-central estava no Charlton, mas não será contratado, perdendo-se assim uma forma de receita. A decisão foi tomada após a saída do técnico Alan Curbishley, principal motor da mudança do atleta para Inglaterra.

Cabral Ferreira: «Será português e à Belenenses»

PRESIDENTE E O PERFIL DO FUTURO TÉCNICO

O sucessor de José Couceiro no comando técnico do Belenenses será português, experiente e com subidas da Liga de Honra ao escalão principal no currículo. Este é o perfil traçado pelos dirigentes azuis que já encetaram contactos no sentido de apresentar o novo treinador o mais rapidamente possível.

“Essa questão está a ser analisada e só falarei de nomes quando estiver tudo preto no branco”, começou por dizer Cabral Ferreira, tendo revelado confiança numa resolução célere do processo. “O novo treinador será conhecido brevemente. Já estão a decorrer conversações e só posso dizer que será um técnico português e à Belenenses”, afirmou, acrescentando: “Estamos a analisar várias hipóteses e espero resolver a questão a curto prazo. Aliás, como é normal neste clube.”

1 Comments:

Enviar um comentário

<< Home